Pesquisa Rápida:


OBESIDADE / COMO EMAGRECER


O Excesso de peso e a Obesidade são diferentes graus de acumulação excessiva de gordura no corpo, de forma a poderem prejudicar a saúde.
O peso ideal não existe. O peso normal é um valor individualizado que depende de diversos factores: fisiológicos (idade, sexo, altura, etc...) genéticos, patológicos e culturais.

 

É um distúrbio nutricional, caracterizado pela acumulação excessiva de gordura corporal ou tecido adiposo.

Considera-se obesa a pessoa que tenha um peso 20 a 30% superior ao máximo desejável para a sua altura, sexo e idade.

 

 

Causas da Obesidade:

Hereditariedade, distúrbios hormonais, características genéticas, excesso de alimentos e falta de exercício físico.

 

A obesidade e o excesso de peso são fruto da interacção entre factores genéticos e ambientais (apenas num pequeníssimo número de casos se deve a outras causas, como doenças endócrinas, síndromas genéticos, tumores, etc...).

Os hábitos alimentares incorrectos aprendem-se maioritariamente na infância. É comum aceitar a frase “de pais gordos, filhos gordos”. A sociedade actual impõe determinados hábitos alimentares que condicionam, em grande parte, o excesso de peso e a obesidade.

Ocorrem muitas condicionantes que impedem o seguimento de um regime alimentar correcto, pois, em muitas ocasiões, por necessidade de trabalho, falta de tempo, etc, as pessoas são obrigadas a comer fora de casa. A este tipo de alimentação chama-se “padrão alimentar de cafetaria”.

O tabaco é outro dos factores que se destaca na sociedade em relação ao excesso de peso. A obesidade ocorre, muitas vezes, quando uma pessoa deixa de fumar. Isto deve-se ao facto do fumador possuir um metabolismo basal mais elevado enquanto fuma do que depois de deixar de fumar. Por este motivo, aumenta de peso quando deixa o tabaco.

Outro hábito relevante é o consumo de álcool. O álcool aporta muitas calorias “vazias” (sem nenhum valor nutritivo), que são utilizadas pelo organismo imediatamente. A energia fornecida pelos alimentos ingeridos, que passa a estar em excesso, é, por isso, armazenada, favorecendo o aumento de peso. É esta a razão da sua supressão na maioria dos planos de emagrecimento.

Tanto a obesidade como o excesso de peso são factores que intervêm de forma significativa na evolução e prognóstico de diversas doenças, que devem ser tidas em conta no programa de emagrecimento. O conhecimento destas e da respectiva medicação levará a actuar de formas diferentes.

Factores Alimentares como causa de excesso de peso:

 

Sempre que a energia proveniente da alimentação for superior àquela que gastamos, as calorias excedentes armazenam-se no tecido adiposo sob a forma de gordura. Podemos dizer que qualquer tipo de comida pode engordar dependendo da quantidade ingerida. O pão, as batatas, as leguminosas secas como o grão e o feijão, o arroz e a massa não são os "maus da fita". São alimentos que devem entrar em quantidade suficiente na nossa alimentação, porque são ricos em hidratos de carbono, que devem contribuir com mais de 55% para o total energético diário.

Já os alimentos ricos em gordura, seja de adição (margarina, óleo, azeite, natas, manteiga) ou de constituição (a que faz parte dos alimentos), são facilmente portadores de umas "calorias extras" que rapidamente são armazenadas no nosso organismo, aumentando a gordura corporal.

Molhos gordos, salsicharia e enchidos, queijos, doces, algumas carnes e peixes, fritos, folhados, refeições pré-preparadas, bolachas, manteiga e margarina para barrar e cozinhar, são exemplos de alimentos que contribuem para aumentar muito o valor calórico de uma refeição, por mais pequena que ela seja.

Isto acontece porque cada grama de gordura fornece 9 calorias. Por exemplo, uma barra de chocolate com 57g contem 15g de gordura, ou seja, 135 calorias vêm da gordura! Um pedaço de chouriço com 25g fornece 11g de gordura, o que equivale a 99 calorias.
Comparando com o total de calorias fornecido pelos hidratos de carbono ou proteínas este valor é menos de metade, 4 calorias por grama. Assim, uma fatia de pão (alimento constituído essencialmente por hidratos de carbono) de 50g fornece 117 calorias.

Para além do valor calórico, a gordura alimentar ingerida, para além das nossas (pequenas) necessidades de ácidos gordos essenciais, é armazenada de uma forma muito eficiente, ou seja, sem grande esforço por parte do organismo.

As bebidas alcoólicas (cada grama de álcool fornece 7 calorias) também podem contribuir para aumentar a gordura corporal. Os alimentos e bebidas muito doces também são responsáveis por aumentar muito o valor calórico de uma refeição, podendo estimular o apetite e, por estas razões, contribuir para o ganho de peso, se não forem consumidos com conta, peso e medida.

O hábito de fazer refeições desorganizadas ou à pressa (ricas em alimentos gordos e/ou doces) ou refeições muito abundantes (logo, ricas em calorias), provoca um aumento do número e tamanho das células adiposas (as células que reservam a gordura) podendo conduzir ao aumento de peso, quando se repete consistentemente ao longo do tempo.

Riscos da Obesidade:

Hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, diabetes mellitus II, dislipoproteinemias, cancro da mama, osteoartrite, entre outras.

 

Classificação da obesidade:

1-                 Por distúrbios nutricionais: dietas ricas em gordura, comida de confeitaria.

2-                 Por para de fumar: a nicotina é responsável pela perda de apetite, quando se deixa de fumar os níveis de nicotina desaparecem do sangue e dá a sensação de fome.

3-                 Por inactividade: sedentarismo, idade avançada, incapacidade obrigatória de marcha, interrupção de exercícios, continuando a ingerir grandes quantidades de calorias.

4-                 Por alteração endócrina: hipotiroidismo, ovários poliquísticos, tumor pancreático com hiperprodução de insulina, consumo de corticóides, estrogénios, anti-depressivos.

 

Conselhos:

Beber 2 litros de água por dia, fazer caminhadas ao ar livre, não consumir bebidas gaseificadas, beber sumos de fruta naturais, fruta fresca e legumes crus e vegetais, cereais,

Não beber juntamente com as refeições.

Não comer doces nem salgados.

Evitar doces e gorduras.

Fazer exercício físico.

Evitar estar muito tempo sentado.

Tenha como referência a Tabela Alimentar

 

Terapias:

Refeições exclusivas de abacaxi 3 vezes por semana;

Banho de sauna 3 vezes por semana com folhas de eucalipto, cidreira e fetos;

Beber sumo de tomate puro em jejum;

Beber um copo de sumo de cenoura ao pequeno-almoço;

Beber varias vezes ao dia sumo de beringela diluído em água com sumo natural de limão.

Incluir Alcachofras nas refeições diárias.

Compressas de argila na região abdominal durante uma hora. Apenas após a digestão estar concluída.